segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

1342-Os motores da evolução humana


...e o mercado cria a exportação

A civilização mesopotâmica centrava-se nas cidades do sul, numa região chamada Suméria. Na Mesopotâmia existiam várias cidades-estado, normalmente ligadas entre si comercial e diplomaticamente, às vezes ooperavam e outras vezes competiam entre elas. Entre as grandes cidades contava-se Uruk, Kish, Ur e Acádia, uma das quais sempre no controle de todo o território.

Mas esta sociedade descentralizada que havia em 3000 a.C., deixou de haver para ceder lugar a uma hierarquia centralizada, controlada por governantes todo-poderosos, que não costumavam ser considerados divinos, como ocorreu em outras regiões.

Apareceram também palácios reais suntuosos. Para suportar tal sociedade era necessária uma classe de burocratas, escribas e mercadores. Era uma sociedade urbana que em os habitantes viviam em casas feitas com tijolos de terra local, gesso de lama e portas de madeira. Era necessária muita mão de obra para gerir os grandes projetos de rega e cultivo da terra e construção de edifícios e casas.

A religião estava interligada com a política e em algumas cidades estas eram governadas por sacerdotes.

Nessa região eram pobres em recursos naturais, como pedra e metal, e assim tinham a necessidade de estabelecer laços comerciais com uma região que ia até ao vale do Indo e Golfo Pérsico.

O seu sistema númerico era baseado no número 60, que sobrevive ainda na divisão do tempo e no círculo de 360º. Conta-se como origem os batimentos cardíacos humanos: 60 batidas para fazer um minuto; 60 minutos para fazer uma hora e esta com 60x60 = 360 segundos completando a hora e o círculo de 360 graus. (mais tarde os batimentos cardíacos foram se alterando para mais)

O primeiro povo a criar uma vida urbanizada na Mesopotâmia foram os sumérios. Eles colonizaram os pantanais do Baixo Eufrates que, somando-se ao Tigre, desagua no Golfo Pérsico. A origem desse povo é praticamente desconhecida. Sua língua não se assemelha a qualquer outra já conhecida. Um pouco antes do IV milênio a.C., os sumérios chegaram à Mesopotâmia, e, nos mil anos seguintes fundaram cidades e desenvolveram sua escrita cuneiforme, gravada em tabuletas de barro. Eles desapareceram há 4 mil anos, dois mil anos depois que apareceram não se sabe de donde. Isso não é investigado.

Ao norte da Suméria havia uma cidade semita chamada Acádia. Por volta de 2400 a.C., os acadianos, liderados por Sargão, o Grande, rei guerreiro, conquistaram as cidades sumérias. Os reis acadianos foram os primeiros a manifestar a ambição de governar o que consideravam ser a terra inteira. Por isso Sargão ficou conhecido como o "soberano dos quatro cantos do mundo". Os acadianos construíram um império que se estendia do Golfo Pérsifo ao Mar Mediterrâneo.

Coube a Sargão organizar contatos comerciais com os demais reinos e inaugurar o que hoje se conhece por exportações. A cultura voltada para a dominação presente no estilo judeu de lidar com o mundo tem origem aí.

Por volta de 2100 a.C., o Império Ácade desmoronou. Invasões conjugadas a disputas internas provocaram sua queda. Após um período de prolongados conflitos, por volta do século XVIII a.C., o rei da Babilônia, Hamurabi, realizou uma série de conquistas criando, na região, uma sociedade escravagista. Assim nasceu o Primeiro Império Babilônico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário