quinta-feira, 24 de abril de 2014

1401-Brasil: a undécima chance


9ª crise: quem governa o Brasil

Quem governa o Brasil? Resposta: são as classes que têm maior influência: o clero, os militares e os ricos do interior, pois não havia indústrias. Éramos um país rural, tocado por estancieiros que haviam trocado os escravos por trabalhadores semi-escravizados, sem registro, sem salário, sem férias, sem direitos. Quem vota? Bem, isso não interessa, pois os votos entrarão nas urnas pelas mãos dos referidos homens influentes. A isso se chamou “voto de cabresto”.

Uma sucessão de marechais e ricos representantes da burguesia econômica rural se reveza no poder. Um país imenso, sem estradas, sem telefones, comunicando-se por telegrama e viajando por mar e águas interiores, anda em passos de carreta puxada por bois e vive atolada em dívidas contraídas pelo império para bancar as guerras de fronteira que sustentou. Uma enorme importância passou a ser dada ao Exército, pois as guerras precisavam da cavalaria e da artilharia de terra.

Os militares tem uma forte voz dentro dos palácios. E vem a política dos governadores, na verdade, super chefes, representantes das oligarquias rurais de seus estados. A república era uma espécie de Confederação Nacional mantida pelas federações estaduais e estas mantidas pelos coronéis que botavam os votos nas urnas. Assim nasceram as oligarquias de que temos conhecimento, por exemplo, nos estados com grande peso na economia. Júlio de Castilhos e Borges de Medeiros mandaram durante 30 anos no Rio Grande do Sul. Os Ramos mandaram durante 20 anos em Santa Catarina, entregando em seguida aos Luz e aos Bornhausen. No Paraná, em São Paulo, em Minas Gerais, não foi diferente.

A prática política de fazer favores oficiais em troca de mandatos e cargos, se chama instrumentação do Estado. Algo que voltou a ser feito a partir de 2003.

O sistema eleitoral da época dava margem à fraude e foi com denúncia de fraude eleitoral que Getúlio Vargas lançou-se em armas contra a Velha República e implantou uma ditadura, um Estado Novo, com novas leis, novos métodos, voto da mulher e alguma modernidade inclusive ditada pela II grande guerra mundial. Governou por 15 anos como ditador e mais 4 como presidente eleito, tendo um marechal (Dutra) no poder entre um e outro período.

Nenhum comentário:

Postar um comentário