domingo, 1 de junho de 2014

1439-Cônjuges


 
O casal do Terceiro Milênio

O amadurecimento espiritual do ser humano vai mudando o relacionamento entre o homem e a mulher e, consequentemente, entre todos os membros de uma sociedade. À medida que avançamos pelo caminho da evolução, sete fatos caracterizarão a vida amorosa na nova era que se inicia com o Terceiro Milênio:

Primeiro - O casal percebe que é parte da unidade mais ampla da vida no cosmos. Surge uma parceria em várias dimensões da consciência, que integra harmoniosamente níveis animais, humanos e sagrados;

Segundo - Os filhos, quando surgem, são vistos como "flechas em direção à vida", na expressão de Khalil Gibran. Os pais não pretendem manipulá-los ou dominá-los, mas procuram amá-los de modo incondicional, preparando-os para vencer eticamente na vida e para encontrar a verdade suprema;

Terceiro - A relação a dois se organiza sobre a base da moralidade que surge da percepção da unidade da vida de tudo o que há. Essa unidade, que é dinâmica, opera através das leis do carma e da reencarnação. A "lei do retorno" recomenda fazer ao outro aquilo que queremos que o outro faça por nós;

Quarto - No casal, a consciência divina em cada um ama a consciência divina no outro. Homem e mulher percebem que, estando em contato com o que há de melhor em si mesmos, são capazes de perceber o que há de melhor no parceiro;

Quinto - Sexualmente, o casal evita os extremos da luxúria e da falta de afetividade. No caso de Chaupi Ñamca e Paria Caca (como evidenciado na postagem 1433), a relação produtiva entre macho e fêmea se dá como na irrigação do solo, que canaliza a água fecunda, dando-lhe vazão, para que haja mais vida (não só com a concepção de um novo ser, mas com prazer) e mais amor. Esse é o caminho do meio e da moderação entre a inundação (luxúria) e a seca (negação do afeto);

Sexto - O casal sabe que todas as dimensões da vida social, econômica, familiar, cultural e pessoal devem possuir e expressar o mesmo padrão energético, que no plano mental se chama verdade, no plano emocional é o amor e a solidariedade, e no plano espiritual é a percepção direta da unidade essencial de tudo o que há. Assim, o casal funciona como um centro de produção e irradiação de paz para todas as instâncias da sociedade;

Sétimo - O casal se constrói eticamente por seu compromisso não só com a sinceridade mútua - o que é decisivo -, mas também com a fraternidade universal de todos os seres.
 

Literatura Recomendada:

Fundación Género y Sociedad, Geso, Documento de Trabajo nº 11, "Postfeminismo, Conflicto e Sexos o Democracia de Género: la Encrucijada del Siglo XXI", Enrique Gomáriz Moraga, Apartado Postal 1824-2050, San José, Costa Rica.

The Huarochiri Manuscript, traduzido do quéchua por Frank Salomon e George L. Urioste, Universidade of Texas Press, Austin, EUA, 1991.

Cartas dos Mestres de Sabedoria, transcritas e compiladas por C. Jinarajadasa, Ed. Teosófica, Brasília, 1996, 295 pp.

A Visão Espiritual da Relação Homem & Mulher, compilado por Scott Miners, Ed. Teosófica, Brasília, 1992, 257 pp., contendo textos de Dane Rudhyar, J. Krishnamurti, Renée Weber e outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário