domingo, 15 de junho de 2014

1453-Saber transumano


Manual para a Vida


Epicteto, liberto da escravidão romana, que fundou uma escola de filosofia, manteve a tradição socrática. Nada escreveu, mas um seu discípulo anotou seus discursos, de uma impressionante simplicidade, reunidos num "Manual para a Vida", onde ele apresenta sete princípios para uma real felicidade:

Um - Saiba o que você pode controlar, e o que não pode. A felicidade e a liberdade começam com uma clara compreensão de um princípio: algumas coisas estão dentro do nosso controle, outras não. Podemos controlar nossas opiniões, aspirações, desejos e ações, por exemplo. Tentar controlar outras pessoas ou circunstâncias externas é sempre fonte de preocupação, frustração e infelicidade. Devemos cumprir nosso dever e deixar que a realidade seja como é.

Dois - Ninguém pode ferir você. Mesmo que alguém agrida você com palavras e o insulte, é sempre sua opção sentir-se insultado ou não pelo que está acontecendo. Se alguém o irrita, na verdade é apenas a sua própria reação que o irrita. Portanto, quando alguém estiver aparentemente provocando sua raiva, lembre-se de que é a sua própria visão do incidente que o está enraivecendo e não se deixe levar por reações automáticas.

Três - O progresso espiritual se faz confrontando a morte e a calamidade. Em vez de desviar o olhar dos acontecimentos dolorosos da vida, olhe para eles de frente e examine-os com freqüência. Enfrentando as realidades da morte, das perdas e da decepção, você fica livre das ilusões e falsas esperanças e pode usar melhor sua energia vital.

Quatro - Dedique sua vida a um ideal digno do que ela possui. Tenha metas pessoais espiritualmente superiores, independentemente do que as outras pessoas pensem. Permaneça fiel às suas melhores aspirações, seja o que for que estiver ocorrendo ao seu redor.

Cinco - Saiba que tudo ocorre para o bem. Conforme você pensa, você é  ou se tornará. Evite interpretar os acontecimentos supersticiosamente, dando-lhes significados que não têm. Não chegue a conclusões apressadas. Parta do ponto de vista de que tudo o que lhe ocorre lhe traz algum bem, alguma lição e alguma experiência. Se decidir que terá sorte, a terá. Pense de modo calmo e vitorioso.

Seis - Crie o seu próprio mérito. Nunca dependa da admiração dos outros. Isso o enfraquecerá extremamente. O mérito pessoal nunca pode aumentar por alguma fonte externa. Seja maior do que críticas e aplausos, mas leve em conta a opinião dos outros para identificar onde é necessário corrigir erros e como pode melhorar ainda mais.

Sete - Focalize seu principal dever. Há um tempo para descanso e diversão, mas você nunca deve deixá-los prejudicar o seu verdadeiro propósito na vida. Deve escolher formas de lazer e outras atividades secundárias que sejam compatíveis com a missão central que escolheu para realizar.

Lao-Tsé, sábio chinês, criador do taoísmo, também escreveu sobre os altos e baixos da vida. Disse ele: "O caminho do céu é reverter quando se atinge o auge e diminuir quando se atinge a plenitude, e isso é ilustrado pela vida do Sol e da Lua. Portanto, os sábios se diminuem diariamente, esvaziam suas mentes, não ousam ficar satisfeitos consigo mesmos, e progridem a cada dia pela prática da renúncia, de modo que sua virtude não diminua".

É preciso concluir aceitando esta afirmação como verdadeira: "Não há sabedoria mais bela que a da simplicidade".

Você poderia questionar: cadê a bibliografia que apoia os textos desta série? As fontes de consulta são tantas que nem cabem aqui. Mas, se você quiser, faça um mergulho para dentro de si mesmo, depois de ler e comparar, competir e sintetizar inúmeras obras de psicologia, medicina, religião, história, política, filosofia, gnosiologia, antropologia, pedagogia, física, metafísica, xamanismo, espiritualismo, etc., e descobrir, como eu descobri, que nada sabia, nada sabemos; depois de perceber que deixou, como eu também deixei, de ser passageiro do delírio das massas manipuladas; depois de descobrir como eu descobri que Deus não existe no céu e sim em muitos lugares e também dentro de nós: nós somos Ele, Ele é nós, nós e Ele somos a mesma coisa e servimos para a mesma finalidade. Que finalidade? Esta é a busca. Continue a buscar como eu também faço.

Até outra série.

Nenhum comentário:

Postar um comentário