quarta-feira, 18 de junho de 2014

1456-Eu Líder de Mim


Qual é a proposta da Vida?

Não é preciso ser sábio, doutor, sacerdote, filósofo ou o que o valha para conhecer, perceber, sentir e, exercitando as outras capacidades inerentes ao ser humano, abstrair, deduzir, construir, e interpretar na própria Natureza a proposta do Autor da Vida para com a vida, como fazem muito bem todos os outros viventes ditos não inteligentes. A proposta do Autor para a vida é clara: é beleza, bondade, perfeição, alegria, equilíbrio, amor, solidariedade, liberdade, justiça, verdade...

Tomemos uma cadeia alimentar, que começa no solo com seus microrganismos, passando pela semente, pela chuva, os raios solares, os insetos polinizadores, o vento, o animal que consome o vegetal e que dá a vida para que o homem também se alimente, continuando nos excrementos tanto de animais como de pessoas, proporcionando novas condições a bactérias, microrganismos, plantas e frutos transformados em alimentos de pássaros, peixes, pessoas etc. e assim sucessivamente, incluindo a fotossíntese que gera oxigênio e assim, assim, ao que se presume, infinitamente.

Vontade, pensamento, ação

Os animais também têm vontade, pensam e agem. Mas nascem aptos a realizar suas tarefas comuns quase que por instinto, guiados pela memória genética e algo também por conta de alguma inteligência. Ao homem muitas coisas devem ser ensinadas. E a escola (família e instituição de ensino) desviou-se da rota.

Aos homens ficou reservada a capacidade sincronizada de ter vontade apenas, ter vontade e pensar apenas e de emitir a vontade, pensar, criar e produzir (palavras ou obras), dentro de um sistema de ética e lógica, que para os animais é apenas a sobrevivência. Para os homens, não.

A coerência entre vontade, pensamento e ação, normalmente chamada de lógica, mas que também tem a ver com ética, é o que desencadeia conflitos, entendimentos, sucesso, fracasso, felicidade ou a ausência dela.

Acreditar, querer, pensar, falar, semear, fazer, multiplicar, ter e distribuir, é uma sequência lógica, coerente entre um pensamento e uma ação. Os valores de cada um de nós determinam a qualidade do produto final: palavra ou obra.

Os seres ricos de valores, pensam e elaboram o que se transformará em obras em prol de saúde, amor, harmonia, criatividade, alegria, prazer, fé, prosperidade. Os seres pobres de valores pensam e elaboram o que se transformará em obras em prol do oposto disso.

Cada um colhe o que semeia. É a lei do Criador para com a criatura humana. Assim funciona a escola da vida.

O que “eu penso, é o meu propósito de vida”. O que “eu desejo, se encaixa no que me acontece”. O que “eu falo é porque penso assim”. O que “eu faço, é porque eu digo assim”. “Eu sou o que mereço ser”.

Se essas relações estiverem quebradas, a vida estará fora do eixo. O aprendiz precisará ser chamado à responsabilidade. Aqui tem origem a dor e o sofrimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário