sexta-feira, 20 de junho de 2014

1458-Eu Líder de Mim


Fundamentos da Ética para o Novo Milênio

A civilização terrena, não só feita de cristãos, tem aceito a instituição do calendário gregoriano (cristão) como uma medida de tempo de um mesmo modo que o dólar e a língua inglesa se fazem institutos universais para as relações humanas muito mais na esfera dos negócios do que da amizade entre os povos.

Importa que, graças a isso, o pensamento, as teorias, as atitudes, a ética e a prática humanas neste Novo Milênio (Cristão), estão em xeque. São inúmeros os fatores que contribuem para a inicial discussão e a posterior alteração dos paradigmas em vigor. A ciência, a filosofia, a arte e a religião, tudo enfim, objetiva a felicidade e a realização do homem. Mas o homem está infeliz. Há um sentimento de não realização que aflora em que tem vida confortável e mais ainda naqueles que não a tem.

A mais inteligente das criaturas do planeta desviou-se do propósito e do objetivo principais de sua existência: ser feliz, ser saudável, ser amorosa, ser solidária, ser harmônica; em resumo, alcançar a bem-aventurança.

A primeira condição para desviar-se do propósito reside na busca da bem-aventurança pelo caminho do ter. Por isso, a chamada globalização esteve direcionada para a economia, atendendo a interesses de grande alcance de poderosos grupos financeiros e empreendedores. Não imaginavam os seus mentores que o efeito pudesse ser oposto ao esperado.

A Internet que é o produto mais representativo da globalização serviu e serve aos interesses econômicos mas, acima de tudo, é uma poderosa alavanca de comunicação e libertação naquilo que a informação tem de mais precioso: libertar.

Não é segredo para ninguém que os meios de comunicação sejam eles estatais ou concessionados ao setor privado, apesar de apregoarem a liberdade de manifestação, manipulam informações segundo os seus mais elevados interesses. Mas, na internet isso nem sempre acontece, pois o autor da informação pode ser o cidadão, de cidadão para cidadão, de rede para rede; e isso vem botando abaixo os impérios monopolistas da informação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário