quarta-feira, 25 de junho de 2014

1463-Eu Líder de Mim


Questionamento

Onde ética e espiritualidade se unem em benefício da sustentabilidade da vida no planeta?

Resposta: no amor e na compaixão tidos como valor espiritual quando efetivamente praticados.

Todos os estudos sociológicos demonstram que o egoísmo exacerbado e a vaidade respondem pelas tragédias humanas.

A quebra da ética se dá na força do ego vaidoso. Na ausência da ética, qualquer que seja o nível espiritual do homem sempre estará ele inundado de hipocrisia: o seu pensamento não corresponde à sua prática e vice-versa.

O egoísta ao descobrir-se responsável por seus descendentes, filhos e netos, já poderia começar a alterar seus pensamentos, atitudes e práticas, pelo simples fato de constatar que o egoísmo e a vaidade, dando causa à hipocrisia, tem destruído as esperanças de harmonia no planeta, dado o extraordinário grau de insustentabilidade social por conta do modelo econômico. E o modelo econômico é desumano com a maioria da humanidade pela falta de ética dos líderes que determinam as condições políticas onde ocorrem as relações econômicas com impacto social e ambiental.

Todos responsáveis?

Promover a guerra para obter lucro em nada altera o ato de matar para roubar.

Traficar informações para levar países à guerra, em nada é diferente da trapaça, da fraude.

Destruir famílias aos milhares em troca de dinheiro fácil, em nada altera o crime de tráfico de drogas.

A realeza, os presidentes, primeiros-ministros, políticos com e sem mandato, com ou sem função administrativa, cientistas, médicos, advogados, acadêmicos, professores, estudantes, padres, pastores, freiras, monges, industriais, artistas, lojistas, técnicos, profissionais autônomos, trabalhadores, quase todos os homens e mulheres do planeta contribuem diariamente para o seu próprio caos ao prolongarem o caos de seus semelhantes.  

O desafio colocado para o homem do Novo Milênio é encontrar o equilíbrio: desfrutar do mesmo grau de harmonia e tranquilidade das comunidades mais tradicionais, ao mesmo tempo que se beneficia integralmente dos progressos materiais.

Haverá um caminho para isso? Certamente.

O simples modo de conquistar o progresso respeitando todos os direitos humanos, na prática, e não apenas no discurso, por exemplo, é o primeiro passo.

Os governos existem para dar atenção a todos os cidadãos. A coisa pública tem de ser de todos e não apenas por slogan de propaganda.

O corte dos privilégios mantidos nos programas de governo, de um lado, e o fim do excessivo lucro obtido pelas empresas, em detrimento dos seres humanos e do meio ambiente, de outro, só para citar esses, são dois caminhos para amenizar o desequilíbrio social e ambiental.

O que é ser ético?

O primeiro e mais elementar passo do ser ético, é ser ético consigo mesmo. Antes ainda da verdade de que “o que é válido no meu discurso precisa antes estar válido em minha vida”, é preciso ressaltar a verdade: “para que eu exista não é necessário que alguém morra”.

O segundo passo, é antes ainda da verdade de que “preciso ter certeza de que são válidos para mim os palpites que dou ao outro”, é preciso ressaltar a verdade de que “o modo como eu vejo e sinto o mundo nunca é o mesmo de como veem e sentem as outras pessoas”.

O terceiro e decisivo passo do ser ético, é antes ainda da verdade de que “o discurso no poder tem de ser o mesmo de quando estou fora dele”, é preciso ressaltar que a propriedade coletiva é de todos e não daquele que a administra.

O quarto e, também, decisivo passo do ser ético, é antes ainda da verdade: “nunca quero para mim leis mais favoráveis que as leis válidas para todos”, é preciso ressaltar que ninguém sobreviverá, no planeta, a longo prazo, enquanto permanecerem crescentes as taxas de miséria, as perdas da dignidade e da identidade humana, as doenças transmissíveis, a lotação dos arsenais de guerra, a disparidade de renda, a degradação ambiental, a infelicidade humana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário