quinta-feira, 26 de junho de 2014

1464-Eu Líder de Mim

 
Ética
 
Ética é o estudo da conduta humana, isto é, estudo da maneira de se comportar. Uma definição mais acurada, clássica e formal de ética: ética é a parte da filosofia que estuda os juízos de apreciação, referentes a conduta humana, susceptível de qualificação do ponto de vista do bem e do mal, seja relativa à determinada sociedade, seja de modo absoluto. Analisando tal definição: ética é o ramo do conhecimento que estuda a conduta humana, parte da filosofia chamada deontologia, (δέονλογία; δέον = deón = dever, obrigação) em que se estudam os princípios, os fundamentos e os sistemas de moral (SEP, 2007).
 
Ética pode significar o que é bom para o indivíduo e para a sociedade. Seu estudo contribui para estabelecer a natureza de deveres no relacionamento indivíduo e sociedade.
O comportamento ético é aquele que é considerado bom. Sobre a bondade, os antigos diziam que: “o que é bom para a leoa, não pode ser bom à gazela. E, o que é bom à gazela, fatalmente, não será bom à leoa”. Isto significa que a ética é relativa e depende do julgamento de um observador.
 
Indo mais além, Ética deriva de êthos que, em grego (de onde deriva ethikós, ética), quer dizer “costume” e que em latim se diz mores, de onde vem o termo “moral”. Assim, ética é o conjunto de condutas afinadas com determinada época, povo e cultura, reunindo costumes de senso moral, isto é, obrigações e valores que assumimos perante nós mesmos e perante nossos semelhantes. Trata-se, pois de um “instituto” medidor ou padrão ou meio de comparação e julgamento da conduta humana suscetível de qualificação do ponto de vista do bem e do mal em relação à determinada sociedade, sua cultura e época. Qualifica-se como ético, aético e antiético o fato, obra, ou atitude pessoal ou coletiva, segundo a sua repercussão nos indivíduos ou coletividades envolvidos ou alcançados. Espiritualidade e ética, quanto ao aspecto dos valores morais, costumam ser apresentadas, respectivamente, como fonte e manifestação.
 
Um trabalho de ética não pode resumir-se à contenção dos pensamentos e atitudes, emoções e ações negativos ou à afirmação de nossas qualidades. Devemos aprender a cultivar as virtudes, treinar, mentalizar, praticar virtudes. Viajar mentalmente entre a doença e a cura – um extremo e outro – desperta em nós a compreensão crítica do processo. Todo o excesso é prejudicial em qualquer extremo. A prática da generosidade é essencial para combater nossa tendência de proteger demais os nossos bens, de guardar demais nosso dinheiro e de até mesmo de querer armazenar a nossa energia física e emocional. Isso é mesquinhez.
 
Felicidade x Ética
 
A felicidade provém de causas virtuosas. Não há outra maneira de alcançá-la senão através da virtude, da soma das virtudes. E se pode acrescentar que a base da virtude, o solo onde estão as suas raízes, é a disciplina ética.
 
E como o ser humano evolui?
 
É provável que o processo evolutivo não seja adquirido. Portanto, sempre que se apresente uma ou várias lideranças revolucionárias (reevolução) para que o processo caminhe mais depressa, antes desse ponto há uma decisão individual. A intervenção do líder é meramente organizativa, aceleradora.
 
Parte da revolução se destina a facilitar o processo da saúde, das relações, do conhecimento. Outra parte se destina a neutralizar o mau uso dos novos instrumentos de evolução (carro, avião, remédio, laser, etc.) usados também para degredar ou estacionar a evolução. E parte servirá para o encontro do equilíbrio, da harmonia, do crescimento espiritual (evolução pura).
 
A cada homem, a cada mulher, é dada a oportunidade de encontrar o seu caminho, como disse Lao-Tsé, para encontrar o seu Tao, a via que é sua própria destinação e não um meio para alguma outra destinação, de onde se originam os conflitos, a infelicidade, as doenças, os suicídios, as drogas, os vícios.
 
Na doutrina espírita, que também reflete conhecimentos hinduístas, ensina-se que temos um karma e temos uma missão. Através deles temos a oportunidade de resgatar dívidas anteriormente contraídas e assumidas, bem como de investir em créditos futuros.
 
Termina aqui esta série.

Nenhum comentário:

Postar um comentário