sábado, 2 de agosto de 2014

1501-Um texto comemorativo


 
Quero celebrar com você, leitor

Com a postagem de ontem cheguei aos 1.500 textos publicados nos três blogs que compuseram esta série. Na verdade, 1.684 textos que, numa equalização quando parei dois daqueles blogs, preferi manter uma numeração simbólica e, certa forma, mística.

Foi assim: no dia 01/01/2012, tomando a Era de Aquário por inspiração, iniciei o blog “Um Novo Começo”, que recebeu 249 postagens e, de certa forma, esgotou aquele assunto. Em 12/07/2012 estava na internet o blog sucessor “Profecias para um Novo Tempo” que, também passados alguns meses, teve seu conteúdo dado por acabado. O remédio foi lançar uma nova página com condições de receber outros tantos assuntos dentro de uma proposta de crescimento para a fase espiritual das pessoas. Foi assim que entrou em edição o blog “Maioridade Espiritual” como sucessor dos dois outros e já, agora, com seus textos numerados para permitir ao leitor fazer as tomadas por sequência crescente.

Pois bem, somando ou fazendo mais ou menos isso, os três blogs levaram até você mais que 1.500 publicações, e o número 1500 da postagem de 01/08/2014 encerra um ciclo de 56 meses de publicações diárias, acompanhadas por centenas de frequentadores. Daria que ufanar tratarem-se de uns quatro livros om mais de 300 páginas cada um. Mas, de ufano, só a fidelidade de vocês, leitores. A estrada está inteira pela frente.

Quero celebrar, comemorar isto. Por enquanto. Nós vencemos, juntos, inúmeras batalhas contra a ignorância, contra o preconceito, contra o fundamentalismo, contra as crenças infundadas, desmitificando, desmistificando, desnudando, desconstruindo um montão de coisarada que apenas atravanca o desenvolvimento das mentes e dos espíritos humanos.

Diga-me como pensas e o que pensas e eu te direi quem és; este é um novo sintoma para a vida do planeta. Quanta gente ainda acredita em histórias da carochinha, ouve as vozes traidoras ou leem os textos aprisionantes de pregadores e escritores que apenas lidam com o enriquecimento pessoal, trocando Deus por dinheiro? Você pode menosprezar esse número, mas esse número não é pequeno. Escutei uma justificativa de um desses aí que metem a mão nas economias do povo ignorante e pobre: “Se eu não sequestro o dinheiro deles eles vão gastar em jogos, loterias, bebedeiras e putarias... então deixa comigo que eu dou um melhor fim a este dinheiro. Aleluia”. Claro, o melhor fim são os carrões, as mansões, os templos suntuosos, as viagens internacionais e os requintados programas de televisão, verdadeiras máquinas de alucinação e de captação de novas doações, tudo sem passar pelo Imposto de Renda, pois as igrejas estão isentas de contribuir.

No entanto!

Toca o carro!

Toca o carro, diria o mestre carreiro dos antigos carros de bois, quem sabe o choro dos eixos rangendo por falta de graxa faça despertar as mentes daqueles que, à beira da estrada, só olham, não sabem de onde vêm e nem para onde vão os carros. E nem por que vão. Aqueles que se deixam conduzir pelos maus guias apenas perderão tempo. Mas, os maus guias perderão a alma. Eles não sabem que estão lidando com aquilo que mais incomodou Jesus Cristo, a ponto de falar alto, bom som e bom tom: “Por isso eu voz digo: todo pecado, toda blasfêmia serão perdoados aos homens, mas a blasfêmia contra o Espírito não lhes será perdoada” (Mateus 12; 31).

Então!

Então toca o carro, chorem os eixos, atolem as rodas, babem os bois, aboiem os homens entre um pouso e outro, que a estrada é longa, tortuosa, perigosa em alguns trechos, mas lá adiante, depois do cerro, há um plano, um descampado, uma relva, umas flores silvestres, um passarinho a cantar, uma borboleta a planar. Lá não é Passárgada, mas nós estamos pensando chegar lá. Quem for do bem, que me siga. Era boi. Era boiada. Era boi da ponta. Boi do coice. A tarde vai mermando e mais um pouco eu chego lá. Eu, não, nós.

Amanhã começa nova série.

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário