quarta-feira, 13 de agosto de 2014

1512-História da humanidade


Origem da humanidade II

Ao terminar a postagem anterior reivindicávamos da ciência a coragem para ir buscar o elo perdido entre o real primeiro hominídeo e o homem sábio que hoje habita os continentes do planeta, enquanto os símios continuam símios pelas florestas onde prefere habitar. Vamos a um raciocínio simples, lógico, despretensioso: dentre os símios que ainda temos coexistindo em algumas florestas da Terra, quem deles reúne as características que seguem apresentadas neste texto?
Os membros de nossa espécie têm um cérebro altamente desenvolvido, com inúmeras capacidades como o raciocínio abstrato, a linguagem, a introspecção e a resolução de problemas. Esta capacidade mental, associada a um corpo ereto possibilitam o uso dos braços para manipular objetos, fator que permitiu aos humanos a criação ou invenção e a utilização de ferramentas para alterar o ambiente à sua volta mais do que qualquer outra espécie de ser vivo. Outros processos de pensamento de alto nível, como a autoconsciência, a racionalidade e a sapiência são consideradas características que definem uma "pessoa" e estão muito longe do animal que a possa ter precedido, sem se referir à pelagem do corpo.
Mesmo que algumas características do homem se aproximem das dos primatas superiores, os seres humanos são sociais por natureza, sendo particularmente hábeis em utilizar sistemas de comunicação, principalmente verbal, gestual e escritos para se expressar, trocar ideias e se organizar. Os humanos criaram complexas estruturas sociais compostas de muitos grupos cooperantes e concorrentes, de famílias, clãs, etnias e nações. As interações sociais entre os humanos criaram uma variedade extremamente grande de tradições, rituais, normas sociais e éticas, leis e valores que, em conjunto, formam a base da sociedade humana. Os símios têm sua forma de viver em bando e ponto final.
E ainda não estamos falando da inventividade, dos processos industriais, tecnológicos, informatizados, da exploração espacial, do genoma.
A cultura humana é marcada pelo apreço pela beleza e estética, o que, combinado com o desejo de expressão, levou a inovações como a arte, a escrita, a literatura e a música. O Homo sapiens, como espécie, tem como característica o desejo de entender e influenciar o ambiente à sua volta, procurando explicar e manipular os fenômenos naturais através da filosofia, artes, ciências, mitos e religiões. Esta curiosidade natural levou ao desenvolvimento de ferramentas e habilidades avançadas como este computador onde você lê estas palavras.
E ainda não estamos falando da questão sexual que, nos símios, se expressa apenas no cio da fêmea.
O ser humano é a única espécie conhecida capaz de criar o fogo, cozinhar seus alimentos, vestir-se, além de utilizar várias outras tecnologias. Os humanos passam suas habilidades e conhecimentos para as próximas gerações e, portanto, são considerados dependentes da cultura.
Onde se pode estabelecer a menor correlação entre uma pessoa e um símio que continua símio, não evoluiu?

A origem dos Homo sapiens atuais, por isso, passa a ser bastante discutível ainda que a maioria dos cientistas apoie a teoria da Eva Mitocondrial, sustentada por testes genéticos, em vez da teoria da Evolução Multirregional que defende que os seres humanos modernos evoluíram em todo o mundo ao mesmo tempo a partir das espécies Homo ali existentes e que se reproduziram entre si nas várias migrações que supostamente fizeram. Os primeiros fósseis totalmente humanos foram encontrados na Etiópia com data de 160 mil anos.

Há cerca de 35 mil anos surgiu a arte paleolítica na Europa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário