sexta-feira, 31 de outubro de 2014

1589-O Espiritismo no Brasil


O Espiritismo e a ditadura

O Espiritismo definitivamente é uma doutrina democrática ainda que eventualmente alguns de seus expoentes não correspondam a este ideal. E por ser uma doutrina ligada à moral elevada e a princípios éticos, associados à democracia representativa, quando não há democracia, vêm os dias de chumbo também para a prática do Espiritismo.

A década de 1930 começara com a fundação em SP da União Federativa Espírita, filiada à FEB e com o lançamento do primeiro programa espírita de rádio, em Araraquara, por iniciativa de Cairbar Schutel, mas começava também o período de governo de Getúlio Vargas, sem a participação do Congresso e com pouca participação do Poder Judiciário.

Quando da implantação do Estado Novo, em 1937, a repressão ao espiritismo aumentou. A própria FEB foi fechada pela polícia em 27 de outubro e reaberta três dias depois por ordem do então Ministro da Justiça, Dr. José Carlos de Macedo Soares.

No ano seguinte (1938) mais uma vez é reafirmada a extraordinária vocação do Brasil quando veio a público a obra “Brasil, Coração do Mundo e Pátria do Evangelho”, através da psicografia de Francisco Cândido Xavier, atribuída ao espírito de Humberto de Campos.
Mais vez a esta obra de Humberto de Campos (espírito) narra a formação do Brasil sob a perspectiva espírita, pela qual as entidades espirituais teriam influenciado os principais eventos da história Pátria, a começar pelo inexplicável "desvio" da frota de Cabral ao afastar-se da África e dirigir-se para a América e também fazendo referência à abolição da escravatura, profetizando-lhe um lugar de destaque entre a Cristandade.Nenhum outro país do planeta tem tanta diversidade de religiões, etnias, culturas, costumes, línguas e tão elevado número de adeptos aos temas da espiritualidade.

Nenhum outro país do planeta produziu tantas obras de fundo espírita sejam livros, filmes, séries de tevê, revistas, jornais, blogs de internet, etc.

Há mais de um século o Espiritismo reforça sua afirmação entre os brasileiros, notadamente depois que Chico Xavier deu ao Espiritismo Brasileiro um toque de ecumenismo, próximo até do catolicismo.
No ano de 1939 realizou-se o I Congresso Brasileiros de Jornalistas e Escritores Espíritas e dois anos mais tarde era fundada a Sociedade de Medicina e Espiritismo do Rio de Janeiro, precursora da Associação Médica Espírita do Brasil.

A década encerrou-se com a reforma do Código Penal, que deixou de criminalizar explicitamente a prática do Espiritismo (1940). Ainda assim, no ano seguinte, todos os centros espíritas da então capital federal foram suspensos por portaria da polícia, do mesmo modo que todos os templos afro-brasileiros também foram atingidos.
Com o fim do Estado Novo, a Constituição Brasileira de 1946 garantiu ampla liberdade religiosa no país.

No contexto da II Grande Guerra, a partir de 1943, o escritor Monteiro Lobato realiza sessões espíritas em sua residência. Essas sessões, que tinham como médium a sua esposa, Dona Purezinha, eram realizadas com o método do copo e foram registadas pelo próprio escritor e publicadas postumamente na obra “Monteiro Lobato e o Espiritismo”. No período de 1946 e 47 chegaram inclusive a ser realizadas sessões na Argentina, durante viagens do escritor para aquele país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário