sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

1624-A Cura Espiritual e pela Fé


Conceitos e pressupostos

São coisas distintas a cura espiritual (ou energética) e a cura pela fé (também energética), segundo recolhemos de muitas fontes. A primeira pode acontecer sem que o paciente tenha conhecimento e/ou participação; a segunda pode acontecer sem a participação de nenhum agente externo. Então vamos esclarecer o que se deve entender por agente externo: nesse caso seria a ação de um espírito ou agente espiritual convidado a atuar na cura de uma pessoa.

No primeiro caso (cura espiritual), hoje, é muito comum, o tratamento à distância. Existem casas especializadas que recebem pedidos de tratamento à distância, durante o qual os espíritos curadores se dirigem ao endereço do necessitado e fazem seu trabalho com ou sem conhecimento prévio do paciente. Geralmente ocorre quando se trata de alcoolismo, droga ou doença grave em paciente preconceituoso ou em estado de coma e alguém da família resolve ajudar e ajuda desse modo, e muito. Mas, segundo as mesmas fontes de onde recolhemos estas informações, a cura espiritual é muitíssima mais eficaz quando o paciente dá sua quota de participação, aceitação, interação e quem sabe até através da fé, nisso já juntando as duas modalidades de cura.

No segundo caso (cura pela fé), digamos assim: que um paciente desenganado pelos médicos foi levado para casa para aguardar a própria morte. No entanto, sonha com o santuário (digamos de Santa Paulina), em Nova Trento, SC, e intui que precisa ir lá pedir por sua cura. A família, meio sem jeito, coloca o paciente no carro e vai a Nova Trento e cuida para que tudo saia como ele quer. E sai.

Diante da imagem da santa, em estado alterado de consciência, o paciente gera no seu íntimo uma força imensa (já conhecida e comentada aqui em outras postagens) e movidas por essa força suas células revoltosas entram em acordo com a vida. O próximo exame de laboratório revelará: o quadro regride e em 90 dias nada mais existirá aqui, a doença desaparecerá. E o paciente será reapresentado ao seu médico e este levará um grande susto, pensando tratar-se apenas de seu espírito (se isso puder ser aceito por ele; normalmente não é).

Esta é a cura pela fé, ou auto cura.

Ainda com relação ao primeiro caso, das curas espirituais, faltou dizer: elas são realizadas diretamente pelos espíritos sob provocação ou solicitação de alguém, geralmente através de grupos de médiuns treinados para o que se chama irradiação (ver adiante) – num caso – atuando (à distância) no domicílio do paciente ou – noutro caso - através do comparecimento do paciente aos locais onde médiuns curadores fazem o que em medicina se tornou conhecido: realizam tratamentos e cirurgias, estes, porém, não invasivos, isto é, exclusivamente no campo energético.

E então já se pode falar do porquê do nome “irradiação” (referido atrás): trata-se, mesmo, de uma operação magnética (onda, por isso o nome), uma vibração que se vale da energia como força motora, se vale do magnetismo como meio de transporte da onda e se vale da informação como conteúdo para o que deve ser feito. Assim, desloca-se pelo espaço (vai a qualquer país do globo – iria para fora dele se contasse com o endereço) a fim de encontrar a pessoa indicada e operar nela um tratamento energético para estimular as células que se encontram em desacordo com a vida.

Ainda dentro do plano da conceituação, quero voltar ao que foi dito do DNA (no prólogo) para acentuar: as células são punhados de átomos reunidos, segundo um comando, um programa, para formarem, no conjunto, algumas moléculas que, por sua vez, se organizarão em torno de um órgão do corpo humano com funções determinadas integrando-se ao sistema maior. Em tudo há energia e informação. A pessoa muito materialista jamais irá admitir e entender o que é chamada a entender: sem a energia (átomos) e sem a informação (programa) não haveria a célula, a molécula, o órgão, o corpo e, convenhamos, nem mesmo o Universo seria possível. Aquela versão de que houve uma explosão (big-bang) e daí em diante o acaso se encarregou de botar ordem e organização, é conversa de estúpidos materialistas.

Nós poderíamos trocar o nome desta série por “cura energética”, mas a energia não possui inteligência. Para que serve uma bateria se o homem não a ligar a uma lanterna, a um controle remoto ou a um telefone celular?

É então que a série ganha o nome de “cura espiritual e pela fé”. É porque o espírito é uma central energética com inteligência própria. Quando preso à matéria ele é uma alma, mas não deixa de ser um espírito enjaulado. Estamos começando a nos entender? Então vamos pra frente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário