segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

1641-Annie Wood Besant


História pessoal

Annie Wood nasceu, como vimos na Introdução, em 1847, e casou-se em Hasting, Sussex, com o reverendo Frank Besant, irmão mais novo de Walter Besant, famoso romancista e historiador inglês. Seu casamento durou seis anos, havendo a separação em 1873. Foi dada a seu marido a custódia permanente de seus dois filhos, Mabel e Arthur.

Ela lutou pelas causas que acreditava serem justas, iniciando com a liberdade de pensamento, direitos das mulheres, secularismo (ela era membro líder da Sociedade Nacional Secular, ao lado de Charles Bradlaugh), onde atuavam no controle da natalidade e nos direitos dos trabalhadores.

Sua mais notável vitória neste período foi a greve que ela liderou em 1888 para melhorar a saúde e segurança das trabalhadoras de uma fábrica de fósforos. Durante aquele período a indústria de fósforo era extremamente poderosa, uma vez que a energia elétrica não estava ao alcance de todos e fósforos eram essenciais para acender velas, lampiões de gás e lamparinas.

A greve liderada por Annie Besant marcou história, pois foi a primeira vez que alguém desafiou com sucesso os fabricantes de fósforos; também foi considerada uma marca vitoriosa dos primeiros anos do movimento socialista na Inglaterra.

Em 1889 ela foi solicitada a escrever uma crítica sobre a Doutrina Secreta, livro escrito por Helena Blavatsky. Depois de ler a obra, ela pediu uma entrevista com a autora. Daí p’ra frente tornaram-se parceiras e membros da Sociedade Teosófica, tendo sucedido Helena no comando da organização.

Algum tempo após o falecimento de Blavatsky, Besant acusou William Quan Judge, líder da seção norte-americana da Sociedade Teosófica, de falsificar cartas dos Mahatmas. Tal conflito causou na época a separação de uma grande parte das lojas nos Estados Unidos da Sociedade Teosófica. Annie Besant em 1903 mudou-se para Índia e em 1908 foi eleita presidente internacional da Sociedade Teosófica, posição esta que ocupou até falecer em 1933.

Quero destacar que a palavra “loja” aplicada para designar uma sede, um escritório, uma seção da Ordem Teosófica, é a mesma usada para referir-se aos capítulos maçônicos. Não é coincidência. Na Inglaterra, onde tiveram origem a Teosofia e a Maçonaria não mais operativa, foi a palavra eleita pelos dirigentes de ambas entidades para designar o que as pessoas de fala inglesa chamam de “lodge”: pousada, casa, cabana, alojamento, hospedaria (e se poderia acrescentar: confraria – núcleo onde se encontram pessoas muito identificadas por princípios, regras, objetivos comuns, também chamado de irmandade).
Prosseguiremos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário