terça-feira, 23 de dezembro de 2014

1642-Annie Wood Besant


Interesse ocultista e humanitário

Em consequência do seu ativismo pelos direitos humanos, notadamente da mulher, causas humanitárias e interesse pelo ocultismo, Annie Besant pediu para ingressar na Ordem Maçônica Internacional Le Droit Humain (co-maçonaria, como vimos), porque os objetivos da Maçonaria eram semelhantes. Em 1902, juntamente com Francesca Arundale, viajou a Paris, onde foi iniciada nos três primeiros graus dessa categoria de maçonaria. De regresso à Inglaterra, Annie Besant criou a Co-maçonaria e fundou três Lojas Maçônicas em Londres, três Lojas no Norte de Inglaterra, outras três no Sul de Inglaterra e uma Loja na Escócia. Mais tarde fundou Lojas e Capítulos da Co-maçonaria em Canadá, Índia, Ceilão, América do Sul (Chile, Bolívia e Argentina), Austrália e Nova Zelândia.

Em 1912 Annie Besant em companhia de três outras pessoas fundaram, em Londres, a Ordem do Templo da Rosa-Cruz, mais uma entre as várias organizações que levam o nome Rosa-Cruz. Mas, em razão dos numerosos problemas originados na Inglaterra durante a Primeira Guerra Mundial, as atividades tiveram que ser suspensas.

Besant retornou às suas tarefas como Presidente Mundial da Sociedade Teosófica. James Ingall Wedgwood, seu parceiro rosacruz seguiu trabalhando como bispo da Igreja Católica Liberal e Marie Russak, a outra parceira, manteve contato na Califórnia com Harvey Spencer Lewis, ao qual ajudou na elaboração dos rituais da Ordem Rosa Cruz (AMORC) que se intitula a mais antiga e oficial.

Na Índia, Annie fundou a Liga Nacionalista Indiana. Ela dedicou-se não somente à Sociedade Teosófica, mas também ao progresso e liberdade da Índia. Foi a primeira mulher eleita presidente do Congresso Nacional da Índia. Besan Nagar é o nome dum bairro (próximo à sede da Sociedade Teosófica) em Chenai, assim designado em sua honra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário