sábado, 27 de dezembro de 2014

1646-A título de retrospectiva


Não iremos parar, literalmente

Nesta época de transição de um ano para o outro, tevês, jornais e revistas costumam reunir a maioria dos fatos que cobriram e apresentá-los aos seus telespectadores e leitores sob a forma de retrospectiva. Quem não estiver bem estruturado psicologicamente chegará ao final da narrativa pensando que o mundo bom não existe, que as pessoas decentes foram extintas, que a vida é uma porcaria e que o futuro foi detonado, tamanha é a carga de eventos mortíferos, muitos deles relacionados com pessoas de caráter duvidoso, de má índole, verdadeiros massacres humanos por conta de interesses que nada têm a ver com a elevação moral e a fraternidade.

Note que esses relatos alcançam a sociedade na semana do Natal que, por tradição, se relacionam com o nascimento de Jesus, o maior líder humanitário que conhecemos, autor de uma das mais poderosas pedagogias da moral elevada e da fraternidade. A carga de informação trazida por estes meios de comunicação está em absoluto contraste com o momento das pessoas, não só quanto ao espírito natalino, pois andamos também para a virada do ano, fazemos nossos balanços e desejamos uns para os outros paz, sucesso, alegria, prosperidade.

Estão equivocados os editores desses veículos? Não. É o que eles têm para nos dar. Eles passam o ano noticiando o lado pior da vida. O que assusta é reunir todos os fatos de um ano numa hora apenas. Ao voltar os olhos para o todo concentrado em um pequeno espaço, qualquer um balança. Muitos se decepcionam, se alarmam, perdem a esperança, se suicidam.

Seria da obrigação desses mesmos arautos do lado pior irem buscar os bastidores das notícias para subsidiar-nos com outros pontos de vista. O planeta passa por aquilo que se poderia chamar de inferno astral nos exatos momentos em que penetra na chamada Era de Aquário. Os blogs ”2012-Um Novo Começo” e “Profecias para um Novo Tempo”, hoje inativos, porém ainda acessíveis hospedados no Servidor Google, exploraram exaustivamente a questão desses novos tempos e o que nós poderíamos esperar por conta da aceleração vibratória proporcionada pela entrada do sistema solar na zona de fótons da estrela Alcione. Teremos mais de dois mil anos de acentuada apuração de segredos guardados, de exposição dos seres indignos de pertencer à comunidade humana desejada por Jesus e da aceleração da retirada do planeta daqueles homens e mulheres incompatíveis com o novo padrão humano. Quando não são os homens que proporcionam a mortandade, é a própria natureza que se encarrega disso, na maioria das vezes em reação aos maus tratos humanos perpetrados contra ela.

Então, meus queridos leitores, apesar de assustadores os relatos da imprensa condensados em suas retrospectivas, somos convidados a refletir: os escândalos que não vinham à tona agora vêm e ai daqueles que os causam. Estamos só começando. Muito mais está por ser apurado.

À medida que avançamos novas autoridades são colocadas em postos chaves ao redor do mundo (novo Papa, novos dirigentes das nações líderes) e no nosso caso brasileiro: os novos membros do Ministério Público, os novos juízes, os novos delegados de polícia, com ênfase para a Polícia Federal, tudo anda numa velocidade que assusta. Prefeitos, servidores, vereadores, deputados, governantes, empresários, sendo pegos em flagrante e chamados a responderem por seus atos ilícitos. Tudo está dentro da expectativa da nova era. Até a imprensa se reciclou para fazer as coberturas.

Mas, não é tudo. É preciso ir buscar a imensa lista de outros fatos animadores, alguns não incluídos nas retrospectivas e outros ofuscados pela imensa lista dos fatos escandalosos. Nas esferas científicas é muito grande a lista de descobertas destinadas a melhorar a vida. A indústria química, depois de promover muita sujeira e muitas perdas, começa a retrabalhar-se para não ser condenada a pagar a grande conta. Na área dos alimentos temos muitas boas novidades. Os algozes do meio ambiente serão colocados a ferros. A própria imprensa será chamada a reciclar-se mais ainda para tornar-se digna das exigências dos novos consumidores. O conhecimento religioso deve colocar na lista “fora de moda” algumas centenas de seitas, igrejas e congregações que passaram muito tempo promovendo a obscuridade de seus fiéis. Haverá um “apertar de cintos” por um tempo até relativamente longo, até que o reequilíbrio seja alcançado, mas daí em diante o Planeta Terra estará apto a candidatar-se ao “Reino de Deus” como enfatizou Jesus. O tempo é chegado. A avalanche não irá parar. Nós estamos sendo chamados a andar sem parar, literalmente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário