segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

1648-Xamanismo, a Arte do Êxtase


O que é o Êxtase?

Perdemos as contas de quantas vezes fomos desviados do caminho do êxtase. E por estupidez criamos a poderosa e rica empreitada de venda de drogas substitutas com uma finalidade absurdamente danosa àqueles que, por ignorância, mas por necessidade, vão pelo atalho e em 100% dos casos, se machucam.

Respondendo à pergunta-título, tento explicar que a alma humana na qualidade de instrumento sagrado precisa realimentar-se bebendo da fonte que está acima da prisão biológica. Mas, os direcionamentos materialistas orquestrados pelas religiões e ciências e até mesmo pelo marxismo, jogou uma quase totalidade da humanidade na vala comum dos desligados da dimensão sagrada, condenados a não extasiar ou a buscar um arremedo de êxtase através dos aditivos alucinatórios, nos quais se incluem o álcool, o fumo e todos os alucinógenos. Isso rende uma fortuna àqueles que exploram a venda, principalmente ilícita desses aditivos.

Êxtase é uma necessidade espiritual. Tem outros nomes: luz interior, individuação, experiência mística, estado supremo de consciência, satori, samadhi, consciência cósmica, inconsciente transcendental, mente superior, quinto nível de consciência, iluminação do eu, estado supraconsciente, unificação, fusão, mergulho, noese e outros mais. Quero ficar no mergulho para fazer dele um paralelo com uma descrição que se faz do estado extático: a realidade e a idealidade tornam-se uma. O aborto do processo extático é feito através da drogadição, por vezes em níveis leves e outras vezes em pesadíssimos processos de mergulho sem volta, como são as overdoses.

A experiência do Êxtase é o ato de experimentar Deus – seja lá o que for que entendamos por Deus e não necessariamente apenas no campo da pobreza como aprendemos lidar com Deus. Aliás, este é o primeiro problema humano quando colocamos Deus nos céus, desligado da natureza e dependuramos o homem entre um e outro extremo.

A verdade é que jogamos fora os mapas de como se chega ao Êxtase e para substitui-lo compramos drogas que ingerimos sempre em maior quantidade para tornar o mergulho mais profundo e mais sem volta exatamente porque pela via do aborto extático não se caminha para Deus, afasta-se dele.

Os xamãs sabiam e sabem extasiar. Quem sabe a gente volta lá atrás e tenta aprender com eles a Arte do Êxtase?   

Nenhum comentário:

Postar um comentário