quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

1686-Os sons e os tons do ser humano


Introdução


 

Você já se imaginou comparado(a) a um violão ou violino? E a uma flor? Quem sabe nós pudéssemos ser comparados ao arco-íris?

 

É para um interessante estudo comparativo do ser humano com o mundo dos sons (musicais) e dos tons (cores) que estamos iniciando esta série.

 

O que vai ser apresentado não é elucubração de nenhuma mente desvairada. Existem estudos interessantíssimos sobre isso, o que leva o responsável pelo blog a abrir espaço para a gente viajar um tanto e mais um pouco nessa temática.

 

As esferas vibratórias do cosmos se assemelham ao fenômeno produzido pelos sons e tons musicais e vice versa. Os seres humanos como partes integrantes do cosmos também se submetem às mesas leis universais.

 

O universo é uma rede de vibrações atômicas formando espécies de cordas que percorrem e interpenetram todos os campos. Os sons, de maneira semelhante, se desprendem da fonte geradora e avançam em todas as direções, repetindo o que acontece com a rede de vibrações cósmicas.

 

No ser humano é possível avaliar o efeito dos sons e dos tons. O comprimento das ondas do som e do tom, estão de certa forma associados ao comprimento das ondas das cores. Tudo é energia. As ondas sonoras, as ondas luminosas, o espectro das cores, em suas respectivas faixas de vibração viajam pelo cosmos através de princípios comuns: frequências vibratórias com velocidade, comprimento, tempo e espaço (quatro dimensões), como ensinaram os mestres da área.

 

As radiações das frequências tocam os pontos sensíveis do corpo humano e produzem alterações mensuráveis, ainda que para algumas pessoas o sentir possa não estar suficientemente desenvolvido enquanto noutras possa estar exageradamente desenvolvido quando comparado ao das demais pessoas. Contudo, os nossos centros de registro, nossos sensores, terão recebido, absorvido e se submetido ao seu efeito benéfico ou maléfico, como poderemos ver.

 

A afinidade, às vezes inexplicável, entre duas ou mais pessoas, advém da ressonância harmoniosa que há entre elas e é perceptível mesmo que não se possa (ainda) captar e registrar por instrumentos capazes disso. Há também a ressonância dissonante, presente quando a vibração mais forte se impõe à (outra força) vibração mais fraca.

 

A própria voz humana é veículo de harmonia, ou não, pelo tom e volume. Quem de nós já não protestou contra determinadas pessoas espalhafatosas na forma de falar? Ou contra um som provindo de algum rádio ou alto-falante? Ou o que é pior, contra um som provindo de uma máquina perfurando pedra?

 

Para melhor entender, podemos fazer um simples teste sobre o efeito dos sons em nosso corpo físico: aproximemos o nosso ouvido de uma caixa acústica emitindo sons. Logo sentiremos o calor das vibrações. É a energia que viaja pelo nosso corpo sempre que nos expomos aos efeitos vibratórios dos raios emitidos pelos sons, tons, cores, etc.

 

O homem chegará a dominar o conhecimento relacionado com o efeito do som, do tom, da cor e a descobrir a porta (correta) de entrada dessas vibrações em seu corpo. Quando isso acontecer, estará ele mais próximo do êxtase cósmico. Sua realização e sua felicidade, estarão mais próximas.

 

Neste segmento de nossos estudos, percorreremos alguns passos nessa direção e com esse objetivo.

 

Você se interessa? Acompanhe-nos, então.

Nenhum comentário:

Postar um comentário