terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

1691-Os sons e os tons do ser humano


Os sons sagrados


Os sábios muito antigos ensinaram que o ritmo tem poder para provocar mudanças no organismo físico; os menos antigos ensinaram que a melodia tem poder sobre os estados mental e emocional; e a medicina contemporânea já trabalha a harmonia dos sons atuando individualmente no estado geral e muito do espiritual.

Cânticos, mantras, orações, histórias, músicas e a palavra precisam de ritmo, melodia e harmonia para que haja perfeita união do corpo, da mente e do espírito.

Em quase todas as culturas existe o que se chama de “a Canção do Absoluto”, ou canto triplo, que relaciona-se a três planos do princípio sagrado dos sons. O número 3 na numerologia é, por excelência, o número da criatividade e está relacionado aos artistas, músicos, poetas e místicos.

O princípio sagrado dos sons é:

         Ritmo = de onde vêm todos os movimentos do cosmos;

         Melodia = de onde vem a integração do divino com a matéria e nossa própria integração com outras formas de vida;

         Harmonia = de onde vem o verdadeiro poder espiritual que se manifesta no cosmos e nos seres humanos. Nesse plano se harmoniza nossa integração com todas as formas de vida.

Todas as religiões do planeta trabalham ou trabalharam a música associada à conexão do homem com o sagrado. Mas sempre fizeram isso grupalmente, coletivamente. Hoje essa aplicação já pode selecionar pequenos grupos para receberem este ou aquele padrão de sons. Em algumas terapias isso segue o padrão do zodíaco. Mesmo um tanto quanto geral, mas, pelo menos, não aplica o mesmo remédio para todos os pacientes. E deste que se descobriu o biorritmo medindo os ciclos físicos, emocionais e intelectuais das pessoas, a aplicação já pode ser praticamente individual. Por exemplo: quando o indivíduo está em baixa emocional, aplica-lhe sons que faze-lhe a compensação dessa carência. O mesmo vale para quando a baixa é física ou intelectual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário