quarta-feira, 22 de abril de 2015

1762-Ganhar asas e voar


Para sair do atoleiro

Diz uma lenda que o Criador precisou determinar uma regra para a vida no Planeta e no Cosmos. A esta regra Ele deu o nome de Travessia. A Travessia consiste em atravessar uma espécie de floresta densa, escura, incerta, com todos os seus perigos e dificuldades, onde mourejam feras, cobras, pouca orientação firme, cansaço, fome, sede, sono, desconforto, frio, chuva, calor, transposição de rios, atoleiros, penedos e penhascos, ao lado de todas as chances de cada um vencer os perigos e dificuldades, e seguir adiante, até o final para sair no outro extremo onde há uma savana coberta de flores e frutos saborosos.

A ninguém foi dado o mapa, apenas as experiências anteriores em outras travessias. Mas, a todos foi dada a capacidade de fazer a Travessia. Ninguém ficará retido para sempre e sim, apenas, enquanto não aprender como se faz a travessia. Mesmo assim, alguns sempre se fazem incapazes para a Travessia. Outros seguem orientações absurdas. Outros mais ne negam a ouvir conselhos que seriam úteis.
 
Conforme o resultado obtido por cada um, ao final da Travessia, será dado um diploma, um prêmio, uma recompensa: será acrescentada uma palavra ao lado da expressão “aprovado/aprovada”: aprovado como apressado, aprovado como confuso, aprovado como medroso, aprovado como ousado, aprovado como forte, frágil, autoconsciente, carente, enfim aprovado como egoísta e assim por diante.

Diz-se que, ao chegarem, e todos chegarão mesmo que para alguns se passem muitos milênios em repetidas experiências, pode-se claramente distinguir uns dos outros.

Conforme estudos da psicologia, são nove os tipos de personalidades encontrados na Travessia:

1.   Perfeccionista – pessoa organizada/trabalhadora, com padrão muito alto de perfeição – nas áreas de seu interesse. Procura ser independe dos outros e evita que os outros dependam dela. Pessoa séria/franca, que tende ou procura ser boa e que valoriza a moral e os bons costumes. É, muitas vezes, sarcástica. Às vezes sente grande ira, que evita ao máximo demonstrar. Julga tudo e todos, algumas vezes com críticas destrutivas. Durante a Travessia, vive reparando nos demais, escandalizando-se com aqueles que perderam quase toda a roupa e protestando com aqueles que, segundo seus cálculos, seguiram o rumo errado.

2.   Prestativa – pessoa que se prende aos problemas e desejos alheios. Altamente sensual, muitas delas têm um verdadeiro harém em sua volta. Consegue a confiança dos outros a ponto de os outros lhe contarem toda a sua vida e intimidade. Capta facilmente os estados emocionais dos outros. É uma pessoa orgulhosa que não se atém às suas necessidades/desejos/anseios. Sabe ouvir os outros. Pode perder horas e horas em prejuízo seu e a serviço de alguém, por não saber dizer não. Quer que os outros (por quem tem interesse) dependam dela. E espera realmente o agradecimento por sua ajuda. Durante a Travessia, vai juntando os pedaços dos outros, fazendo curativos, carregando alguém nas costas, mesmo sem perguntar se a direção da caminhada é esta.

3.   Bem sucedida – pessoa preocupada em alcançar suas metas/objetivos. É exigente. Sempre ressalta suas experiências bem sucedidas, supervalorizadas e nem sempre verdadeiras. Quer ser admirada. Vê tudo em função de disputas. Consegue transmitir confiança. Não expõe de forma alguma sua intimidade. Relaciona-se bem com os outros. Tem facilidade em reprimir sentimentos (raiva, ansiedade, etc.). Por usar várias máscaras, uma para cada ocasião, não a conhecemos muito bem. Utiliza sofismas/falácias. É desconfiada em relação às intenções dos outros. Durante a Travessia, apregoa conhecer bem o caminho e atrai para seu grupo muitos seguidores.

4.   Individualista – pessoa ligada aos seus sentimentos, que são exacerbados. Tem dotes artísticos e é sensível. Tem uma tendência à depressão/melancolia. Identifica/explica melhor a coisa através de símbolos. Gosta de ser especial através de gostos diferentes. Tem carência de atenção. Preza o status. Para ela, desejar é mais importante que ter. Tão logo consiga o que quer, normalmente sente-se frustrada. É invejosa. É uma pessoa pouco autêntica. Durante a Travessia, isola-se dos demais, perde precioso tempo pensando e desejando que os apressados estejam todos errados no rumo que, ao seu ver, encontrá-lo é tarefa sua.

5.   Observadora – pessoa que procura ser objetiva/racional. Seus sentimentos são relegados ao segundo plano. Prefere ouvir. O contato corporal assume papel inusitado. Gosta de acumular conhecimento. Por ser racional e ter conhecimento, sente-se superior. Gosta de se isolar para sorver o conhecimento adquirido. Não gosta quando lhe usurpam liberdade e tempo. É avarenta por conhecimento, tempo e dinheiro, e é gananciosa. É uma pessoa sarcástica. Pode ignorar facilmente as pessoas ao seu redor, incomodando-as. Tem certa dificuldade em relacionar-se. Durante a Travessia, traça seus próprios mapas e cálculos, riscando sobre a relva e observando os demais que possam deter informações quanto ao rumo a seguir.

6.   Questionadora – pessoa insegura, que precisa de um referencial: um líder/chefe/instituição como sustentação. É uma pessoa dependente. Assume os preceitos de seu grupo e os defende. Dividem-se em fóbicos (ligados ao medo/covardia) e contra fóbicos (destemidos, em oposição ao medo inerente que sentem). O contra fóbico pode chegar a extremos. Procura ficar ocupado para não pensar. Tem um certo sexto sentido que algumas vezes é pura especulação infundada. Pessoa confiável. Durante a Travessia, vive grudada nos mais ousados, precisando ser carregada.

7.   Sonhadora – pessoa sempre alegre, que ignora toda eventual dor ou sofrimento. Prende-se a ilusões/fantasias. É até certo ponto inocente. Tem gula de qualquer coisa que lhe dê prazer. Fala demais, assim como tende a fazer tudo em demasia. Algumas são como os palhaços. Pessoa positiva/ simpática/ agradável, que transmite energia. Não gosta e foge de assuntos mais profundos. Valoriza sua família. Durante a Travessia, coloca em prática seu talento de falar com os duendes da floresta em busca de uma orientação.

8.   Confrontadora – pessoa que vê o mundo relacionado com a justiça e o poder. Fica injuriada e age frente às injustiças (relativas a ela e a pessoas fragilizadas). Busca o confronto como forma de impor sua supremacia e às vezes por simples prazer. Sabe discutir. Não tolera pessoas indiretas que fazem voltas para dizer algo. É notada imediatamente quando entra em um recinto. Quer ser vista como uma pessoa forte, desvinculada de sentimentos, que considera uma fraqueza. Não pede perdão. A princípio é contrária a toda a nova ideia. Durante a Travessia assume a disputa do poder pela frente de marcha.

9.   Pacifista – pessoa tranqüila, muitas vezes inundada pela preguiça. Dificilmente se irrita, mas quando acontece é para valer. Demora a resolver, mas quando resolve, é de uma vez para sempre. Não gosta de conflitos, sente-se mal. Não mataria nem mesmo uma formiga. Tem conhecimento superficial sobre variados assuntos. Pessoa confiável, que todos gostam. Aceita os outros sem preconceitos. Fica em segundo plano, diminui-se sob sua humildade. Durante a Travessia sofre muito com a presença de insetos e animais e perde um tempo enorme costurando as diferenças dos membros do grupo.   

Você pode notar que os nove tipos de personalidade, de certa forma, é o eneagrama, com uma diferença, nunca somos exclusivamente um só desses arquétipos. Sempre juntamos uma ou algumas qualidades de outro ou outros arquétipos, e nem só qualidades, deficiências também. O sonho de futuro do homem seria ser um resumo dos nove arquétipos evoluindo para uma décima psico-personalidade.

Você consegue ver-se inserido(a) num ou mais desses arquétipos? Isso também é uma questão de consciência de si mesmo(a). Desenvolva-se.

Fim da série.

Nenhum comentário:

Postar um comentário